sábado, 5 de junho de 2010

Tentando vencer o emocional

Hoje pela manhã parti para a coleta de sangue. Sentei na cadeira, senti o cheiro do alcool, o garrote prendeu meu braço, o alcool escorreu gelado pela minha pele. Não olhei. Fechei os olhos. Meus pensamentos foram além do turbilhão de sensações.

A agulha perfurou minha epiderme e migrou até a veia. A enfermeira me pediu paciência, pois não havia vácuo no frasco. Lá foi ela trocar o frasco, enquanto meu coração começava a palpitar com uma sensação horrível e o meu pulmão se apertava cada vez mais. Comecei a sentir fisgões de tontura. Enfim, estava instalada aquela sensãção que tanto temo.

Medo de sangue. Medo da dor. Medo de algo que não vai me matar, mas me controla a tal ponto de me dar tontura e náusea. Como controlar? Não sei. Não faço a mínima ideia. É algo tão bobo, mas que me desmorona, infelizmente.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha muito medo de agulhas antigamente... eu passei a relaxar mais e perdi o medo. Mas ainda fico meio tonto quando vou tirar sangue. :P

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo blog. Ótimos textos!

    Se puder, acesse o meu também: www.marcelovinicius.com

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Nem é tão aterrorizante assim, apenas uma agulha, apenas sangue! ashasuas
    Bomm texto ^^

    ResponderExcluir