terça-feira, 16 de março de 2010

Um pequeno teste de risquinhos

Trago aqui algo que me aconteceu. E só compartilho por ser algo que realmente me fez dar boas risadas. Não vou colocar muitos detalhes, mas só o que interessa.

Outro dia fui fazer um teste. Preenchi os quadrinhos de lógica, usei todo meu raciocínio para tentar entender o que aqueles números, desenhos e letras queriam dizer. Enfim, decifrei uns 70% do enigma da esfinge travestida de teste de lógica. Fiquei feliz. Pensava comigo mesmo: "puxa, até que não fui tão mal. Em cinco minutos consegui entender esse teste e responder com coerência.

Recebi uma folha em branco com quatro risquinhos na vertical. O examinador, com seu olhar malévolo (todos os examinadores são assim, com risinho fácil e olhar frio) iniciou a instrução: "Vou dizer já e vocês comecem a riscar igual aos traços. Quando terminar, virem a folha. Haverá momentos em que eu falarei X. Vocês fazer o X e continuam".

Pois bem. Lá foi o cabeçudo aqui inicar o teste. Ouvi o já e comecei a riscar rapidamente. Ao terminar a primeira linha, veio em minha cabeça a seguinte frase do examinador: "Quando terminar, virem a folha". Relutante, mas certo do que eu julgava ser correto fazer, terminei a primeira linha e virei a folha. Terminei a segunda linha no verso e tornei a virá-la. E assim fiz sucessivamente, intercalando os risquinhos entre a frente e o verso. Estranhei que não ouvi ninguém virando a folha e percebi que o que fazia estava errado. Não tinha mais volta. Eu já estava rotulado de maluco.

Ainda ouvi o examinador, junto com sua comparsa, dizendo: "nossa, o que esse cara fez? Não entendi nada". E eu queria dar risada. Na entrevista pessoal, expliquei o que tinha entendido. Ele só se limitou a pegar outro teste alheio e dizer: "Isso é um teste normal". Pensei comigo: "enfie esse teste no ...". Sorri, fui simpático. Conversei mais um pouco e sai. Tinha um sorriso no rosto. E uma certa alegria de pensar cá com meus botões: "eu sei que não sou normal e isso me faz diferente".

Um comentário:

  1. Um pequeno teste de risquinhos revela grandes loucos. :-) O bom é que, na falta de parafusos na cabeça, a inteligência excessiva compensa tudo e te resulta nessa figura. Essa coisa de ser fora de série sempre cai pra isso. Isso é legal! haha.

    ResponderExcluir