segunda-feira, 29 de março de 2010

Bananas e palavrões


Ontem assisti no Fantástico a história de uma menina que se alfabetizou no cemitério. Maurício Krubusly, o jornalista, ficou maravilhado com os métodos de aprendizado da garotinha. Vai ver por que ele não conheceu o método que minha mãe empregou para minha alfabetização.

Com bananas e canetas BIC foi possível me alfabetizar. Tinha muita dificuldade para ler e, não sei como, sabia escrever. Minha mãe, para me ajudar, começou a escrever nas cascas das bananas uma série de palavrões, que despertavam minha curiosidade. Logo pela manhã eu corria até a cesta de frutas, apanhava uma banana e começava a soletrar: cu, ca-raaaa-lho... e por aí vai.

Hoje não leio mais em bananas. Mas sempre que vou comer uma, lembro-me do método alfabetizador.

4 comentários:

  1. E toda hora que você come uma banana lembra da expressão "Você vai ter que engolir o que disse"

    ResponderExcluir
  2. Certamente é a revolução do processo pedagógico haha..

    ResponderExcluir
  3. Eu sabia que tinha algo de diferente em você desde a primeira vez que te vi...rs...vc eh foda..rs

    ResponderExcluir
  4. Eu sabia que tinha algo diferente em você desde a primeira vez que te olhei..rs..só não sabia que tinha começado tão cedo..rs

    ResponderExcluir