quinta-feira, 18 de março de 2010

Aula de vidraria


Venho por meio deste satisfazer o insatisfeito. Eu sou péssimo para decorar, ainda mais quando iniciamos uma nova faculdade, com novos amigos com os mais diversos nomes. Para ajudar, a aula de vidraria me deixa maluco devido a quantidade de nomes malucos. Por isso, vou brincar um pouquinho com o que consegui identificar na folha de exercícios.

Tem coisas que nem um BALÃO DE FUNDO CHATO consegue tornar chato. E nem mesmo o ERLENMEYER, com seu corpinho estilo pêra de bundinha amassada, consegue transformar num assunto banal.

O importante é que o BECKER é todo cheio de si, principalmente se comparado ao TUBO DE ENSAIO, que não faz nenhum ensaio. E nem mesmo é um CONDENSADOR de alegrias. Pior seria se ele fizesse um BICO DE BÜNSEN, ou se travestivesse numa PIPETA GRADUADA, ou ainda, numa PIPETA VOLUMÉTRICA (pelo nome essa dá medo).

Nas vidrarias há quem ainda venha ligeiramente e "PROVETA" da situação, pois como existe um SUPORTE UNIVERSAL para tudo, há aqueles que usam sua GARRA DE CONDENSADOR para prender em sua TELA DE AMIANTO boas histórias. Ou ainda há aqueles com transtorno obsessivo compulsivo e vivem limpando a ESTANTE PARA TUBO DE ENSAIO, ou ainda lustrando o VIDRO DE RELÓGIO. Para esses, com certeza falta um TRIPÉ na cabeça para se estabilizar.

Porém, se tudo se resolver, pegue uma PINÇA METÁLICA, munido de uma PISSETA e vem pra festa, pois apesar dos pesares, a vida não é uma BURETA. Mas se tiver tiver um ALMOFARIZ COM PISTILO, não exite! Tome uma CÁPSULA DE PORCELANA e tente passar alegremente pelo FUNIL DE BUCHNER, pois se não fizer isso, nem mesmo uma fada madrinha, com sua VARETA DE VIDRO, vai conseguir mudar sua situação.

Caso não haja saída, procure um BALÃO DE KITASSATO. Neste caso, uma PINÇA DE MOHR talvez tenha alguma serventia. Se for o caso, não se negue a usar o FURADOR DE ROLHAS e tenha a mão um CADINHO de paciência. Somado a isso tudo, erga aos céus um FUNIL DE DECANTAÇÃO: ele é capaz de decantar seus problemas.

Houve um tempo em que essa ladainha não era necessária. Com uma PINÇA DE HOFFMAN, você prendia os gases e não passava vergonha. Tinha ainda a possibilidade de usar sua TROMPA DE VÁCUO. As situações inusitadas eram resolvidas facinho facinho. O único problema desta história toda é não identificar um dos itens. Parece um pincel e o outro um dessecador. Escrevo em minúscula esses dois últimos itens, pois realmente eles não se encaixam ainda nessa loucura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário