sexta-feira, 26 de março de 2010

A arara vermelha que me traumatizou


Essa é pra registrar uma das situações infantis que me marcaram:

Na terceira série do ensino fundamental - ou com 8 ou 9 anos - eu estava sentado na carteira, enquanto a professora começou a passar na lousa um texto para copiarmos. Logo vi que era uma história da arara vermelha. Fiquei ali, copiando e pensando sobre o que a professora escrevia. Não me ative e chamei:
— Professora.
Ela virou o pescoço com o giz na mão. A boca se entreabriu:
— O quê?
Exitante, com um sorriso rasgado de orelha a orelha, fui logo dizendo:
— Minha prima tem uma arara vermelha!
Ela me encarou, fechou o sobrolho e completou com uma voz amarga:
— E eu com isso?

Aquilo me marcou.

Um comentário: