sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Sombras e sombras


Acho que sempre tive um dom esquizofrênico. Se aos 10 anos eu via sombras me encarando enquanto eu assistia televisão, acho que aos 22 não há grande diferenças quando, caminhando, assusto-me com a própria sombra. Já faz algum tempo, mas gosto de relembrar pequenas idiotices que me acometem.

Voltava de uma caminhada sozinho para espairecer a névoa da minha cabeça. Sabe quando você não aguenta mais ficar socado em casa, com todo mundo querendo falar com você coisas que você já está cansado de ouvir? Então, é isso. Para fugir, fui caminhar. E, na volta, quando passava perto de um boteco (fechado), um vulto negro cresceu por debaixo dos meus pés. A única coisa que fiz foi gritar de medo, de susto. E, depois, cair no riso.

Assustar-se com a própria sombra, pelo que vi, é normal. Principalmente se você tiver menos de 3 anos, como essa garotinha aqui. Mas não é normal quando você tem 22 anos. Esquizofrenia pura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário