terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Setas e desvios do caminho profissional


Faz algum tempo que comecei a olhar os classificados dos jornais. Bato o olho e desço as colunas em busca de algo que me sirva. Não há. Só há trabalhos para outras áreas ou, muitas vezes, trabalho mais braçais, que não me motivam, não pelo salário (que, por incrível que pareça, muitas vezes é mais alto do que ganho), mas pela necessidade de usar todas as forças corporais para executá-lo.

Me formei em comunicação social com habilitação em jornalismo em 2008. Faço uma pós-graduação em jornalismo contemporâneo. Trabalho numa assessoria de imprensa de uma prefeitura com divulgação de obras e também na busca de respostas solicitadas por jornalistas. Escrevo bem. Faço um bom serviço. Mas escolhi a área errada. Ou melhor, foi a que consegui escolher, frente ao meu desempenho nos vestibulares e afins.

Ok, parece desabafo de perdedor, lamúrias desnecessárias. Não, não é isso. São constatações ao longo desta jornada. Constatações que nos fazem perceber o quanto é difícil se estabilizar numa profissão que nos dê motivação. Ainda não me encontrei. E é difícil encontrar as setas, pois muitas vezes elas estão lá, mas há desvios que nos fazem perder o caminho. Eita vida doida.

2 comentários:

  1. Começo de carreira é um saco mesmo não é Ju???? Já pensei até em prestar novos vestibulares e tentar mudar de área, mas encontrei um pouco mais de motivação no livro do Gay Talese (O Reino e o Poder) que vc já deve ter lido com certeza! Ver como que era o trabalho dos jornalistas daquela época e como demora para conseguir algo legal na carreira me fez me tocar que um ano de formado não é suficiente para querer tudo o que sempre sonhamos... Já pensou em trocar de área ao invés de profissão?

    Abraços!!! E sucesso sempre...

    Alex

    ResponderExcluir
  2. Pensei, mas acho que meu problema é área mesmo. Estou numa área quadrada demais pro meu gosto, mesmo sendo humanas rs

    ResponderExcluir